O treinador Manuel José considera “muito difícil” que o líder Benfica falhe a revalidação do título de campeão da I Liga de futebol, face à vantagem de sete pontos sobre o FC Porto no final da primeira volta.

“É evidente que é uma vantagem muito clara que o Benfica tem sobre o FC Porto. Não me parece que o Benfica tenha uma ‘debacle’ tão grande e que o FC Porto se possa reequilibrar de maneira a poder recuperar esses sete pontos”, afirmou à Lusa o veterano treinador, de 73 anos, que comandou Benfica, Sporting, Boavista ou os egípcios do Al Ahly, entre muitos outros clubes.

Contudo, não deixou de recordar exemplos recentes em que vantagens folgadas acabaram anuladas na segunda volta da I Liga e frisou que o Benfica deve estar ciente de que o rival ‘azul e branco’ também o pode conseguir esta época.

“O ano passado, com a mudança de treinador no Benfica, quando parecia que o campeonato estava praticamente decidido para o FC Porto, aconteceu precisamente o inverso e o Benfica acabou por ser campeão. Penso que há três anos as coisas foram um bocado assim também, em que o Sporting chegou a ter sete pontos de avanço e o Benfica acabou por ser campeão. São dois exemplos de que o campeonato só termina em junho”, vincou.

Sem esconder o tom crítico a esta primeira volta do campeonato, lamentando a qualidade geral do jogo e o “nível competitivo baixíssimo”, Manuel José defendeu que a equipa orientada por Bruno Lage é um líder justo, apesar de “o nível exibicional não ter sido sempre bom”.

Quanto ao FC Porto, disse que se vai impondo, sobretudo, por uma “agressividade competitiva superior”, sendo que vão para o Sporting as maiores críticas pela prestação nas primeiras 17 jornadas.

“O Sporting é o resultado de tudo o que aconteceu na Academia de Alcochete. É um Sporting que acaba a primeira volta – e eu não me lembro em tantos anos de futebol - com menos 19 pontos do que o primeiro classificado, o Benfica. É dececionante a todos os níveis, com três treinadores na primeira volta”, observou, acrescentando que os ‘leões’ terão um “problema sério” para conseguir o terceiro lugar, devido à concorrência de Famalicão e Sporting de Braga.

E foi precisamente para o clube promovido esta temporada à I Liga, após uma ausência de mais de duas décadas do primeiro escalão, que o experiente técnico teceu maiores elogios.

A equipa treinada por João Pedro Sousa é tida como “a grande surpresa desta primeira volta” do campeonato, no entender de Manuel José, embora duvide da força do Famalicão para segurar o atual terceiro lugar até ao fim.

Já sobre a manutenção, Manuel José sublinhou a existência de “muitas equipas envolvidas na luta para não descerem de divisão”, porém, assegurou que o lanterna-vermelha Desportivo das Aves, com nove pontos, já não deve escapar à despromoção.

“O Desportivo das Aves vai descer, claramente, devido à diferença pontual. O resto vai ser uma luta tremenda para ver quem vai acompanhar o Aves para a segunda divisão”, finalizou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.