Jurgen Klopp saiu vencedor da gala da FIFA na passada segunda-feira, arrecadando o prémio ‘The Best’ para melhor treinador do ano, ultrapassando Pep Guardiola e Mauricio Pochettino.

Em entrevista à revista inglesa ‘Four Four Two’, o treinador do Liverpool revelou não pensar na forma como se comporta no banco, que simplesmente acontece, mas que, apesar de toda a energia que transmite, está mais calmo.
“Eu estou muito mais calmo do que era. Eu sei que é difícil de acreditar, mas a sério, estou completamente diferente”, acrescentou.

O técnico dos ‘Reds’ afirmou ainda não estar interessado no que as pessoas dizem de si, aproveitando para se comparar com Pep Guardiola.

“Eu não estou interessado no que as pessoas dizem sobre mim, mas eu sei que pensam que não sou um estratega porque sou muito animado para ser um estratega. Sou o tipo das emoções. O Pep também é animado, mas não tanto. Ele fica melhor quando esta a gritar. O Pep está sempre perfeito – corpo, roupa, tudo é perfeito. Quando eu grito, pareço um assassino. É a minha cara – Eu mordo os dentes de uma certa forma. Olho para bebés com a mesma cara. ‘Tu és tão fofo’. E normalmente os bebes começam a chorar”

Klopp afirmou ainda que prefere que os seus jogadores sejam agressivos para ele, mas que deem tudo em campo.

“É melhor para eles serem agressivos e ficarem chateados comigo do que não responderem a uma situação e ficarem a pensar ‘oh, perdi uma oportunidade’. É melhor que eles pensem, ‘Mister, és um idiota!' e depois seguirem e mostrarem o que valem”, concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.