Bernardo Silva comentou, esta segunda-feira, o facto de ter ficado fora das nomeações da FIFA e UEFA para melhor jogador.

Apesar de considerar que “os títulos coletivos são sempre mais importantes que os individuais”, o internacional português estranha que nenhum jogador dos 'citizens', que venceram quatro títulos na temporada passada, esteja na corrida pelo prémio de melhor do mundo.

“Dentro do balneário falamos sobre isso, claro que sentimos que é injusto, mas o que interessa é que ganhámos quatro títulos [no clube] e ainda juntei isso à Liga das Nações, mas quem nomeia está no direito de escolher os jogadores”, começou por dizer Bernardo Silva, à margem de um evento promocional em Lisboa.

"Se acho que um dia vou conseguir? Posso garantir que vou trabalhar todos os dias. A época passada foi fantástica e esta época quero ser melhor. Quero ser um dos melhores do mundo", acrescentou o jogador do City.

Bernardo Silva falou ainda sobre o campeonato português, mais concretamente sobre o clássico na Luz, que o FC Porto venceu por 2-0: "O clássico na Luz deu uma grande vantagem ao FC Porto. Acho que vai ser um campeonato muito interessante e que se jogue dentro das quatro linhas e não se fale tanto cá fora."

Sobre a seleção nacional, o internacional português, que durante o evento confessou que ganhar um Mundial pela equipa das ‘quinas’ seria o melhor título para si, justificou depois porquê.

“O Campeonato do Mundo é a competição mais alta do futebol. Acontece a cada quatro anos e não é fácil de ganhar. Portugal está mais perto, nunca tínhamos ganho nada e, de repente, ganhámos duas competições. Portugal nunca será favorito, seleções de países de outros tamanhos tem outro tipo de responsabilidade”, concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.