O jogador russo de futebol Pavel Mamaev, a aguardar julgamento com Alexander Kokorin por alegadas agressões, marcou hoje sete golos num jogo realizado num centro de detenção de Moscovo, para assinalar o Dia dos Namorados.

Num pátio coberto de neve e cercado de detidos, Pavel Mamaev, de 30 anos, usou o número 17, que habitualmente utiliza no seu clube, o Krasnodar, da primeira divisão russa, e para equilibrar o encontro jogou uma parte por cada equipa.

Pavel Mamaev e o companheiro de seleção Alexander Kokorin, do Zenit, foram detidos em outubro de 2018, após se terem envolvido em cenas de pancadaria com terceiros num bar de Moscovo e, desde então, aguardam julgamento por alegada agressão.

“Depois destes meses todos, estou feliz que este jogo tenha acontecido. Vivi hoje sentimentos inesquecíveis”, disse Pavel Mamaev ao jornal russo Sport Express, dedicando os sete golos que marcou no jogo de ‘seis contra seis’ à mulher.

O avançado Alexander Kokorin, de 27 anos, não jogou, por alegadamente se encontrar lesionado num joelho.

O médio Pavel Mamaev e o avançado Alexander Kokorin são dois dos mais reconhecidos futebolistas da Rússia, apesar de não terem jogado no Mundial2018, disputado de 14 de junho a 15 de julho naquele país.

Mamaev conta 15 chamadas à seleção entre 2010 e 2016, mas foi expulso, após serem divulgadas imagens suas e de Alexander Kokorin a festejar num bar do Mónaco, após a eliminação do Europeu2016, em França, que provocaram a indignação pública na Rússia.

O médio do Krasnodar também agradeceu ao serviço prisional russo a iniciativa, que permitiu demonstrar um lado mais humano de uma das prisões mais temidas do país.

A cadeia de Butyrka foi construída no século XXVIII sob ordem dos czares russos, que a usaram para deter rebeldes cossacos e supostos revolucionários socialistas. Na era soviética, a prisão albergou alguns dos mais renomados dissidentes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.