Franz Beckenbauer, antigo presidente do Comité Executivo da FIFA, garante que não recebeu qualquer proposta de suborno para votar em determinado candidato durante a eleição dos países sede do Mundial de 2018 (Rússia) e 2022 (Qatar) e que o seu voto se manterá secreto.

“Ninguém me abordou diretamente, ninguém me ofereceu nada no sentido de influenciar os meus votos. Não, nada disso aconteceu”, disse o presidente honorário do Bayern Munique, assegurando que estas continuarão a ser um “segredo”.

A FIFA já havia informado que o relatório elaborado pela Comissão de Ética sobre a atribuição dos Mundiais de Futebol na Rússia (2018) e Qatar (2022) “manter-se-á secreto”, com o propósito de garantir a confidencialidade das fontes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.