Em 17 jogos disputados em terras germânicas, desde a temporada de 1961/1962, o Benfica nunca venceu, e o melhor que conseguiu foram cinco empates.

"Encaramos o jogo com a ideia de passar a eliminatória”, disse o técnico dos “encarnados”, na antevisão do jogo com o último classificado da “Bundesliga” (campeonato alemão).

Jesus ressalvou, no entanto, que apesar do empenho colocado na Liga Europa, o Benfica “não porá em causa o campeonato nacional, porque o grande objectivo deste ano é o título português”.

“O nosso grande objectivo é ser campeão nacional, vou dar sempre preferência ao campeonato nacional”, sublinhou.

O treinador do Benfica admitiu ainda que a eliminatória com o Hertha, disputada em apenas cinco dias - quinta-feira e na próxima terça -, “vem num período bom”, pelo facto de ter sido antecipado o jogo do “nacional” com a União de Leiria, previsto para o próximo fim de semana.

Voltando ao jogo com os alemães, Jesus acrescentou que o Benfica está “muito esperançado”, e disse esperar sair de Berlim com “um bom resultado, se a equipa estiver ao nível do que tem feito”.

O guarda-redes Júlio César, que vai voltar a ser titular, e fará assim o pleno até agora na Liga Europa, afirmou, por seu turno, que, apesar do respeito que o Benfica tem pelo Hertha e a sua grande tradição, a equipa “conhece o seu potencial, e pode sair de Berlim com um bom resultado”.

Na opinião do guardião brasileiro, “em certas circunstâncias, pode até bastar o empate, para depois resolver o jogo em Lisboa”.

No entanto, apesar da diferença entre a carreira que o Hertha e o Benfica estão a fazer nos respectivos campeonatos, “são duas grandes equipas, e quando a bola rolar vai ser um grande confronto”, vaticinou.

Júlio César disse ainda não estar preocupado com o frio e as temperaturas negativas na capital alemã, lembrando que é oriundo do sul do Brasil e que está “habituado ao frio desde pequeno”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.