O Sporting ascendeu hoje à liderança do Grupo D da Liga Europa em futebol, ao somar o terceiro triunfo consecutivo, no reduto do lanterna-vermelha Rosenborg, por 2-0, em encontro da quarta jornada.

Depois de ter vencido em casa os nórdicos por 1-0, os ‘leões’ ganharam em Trondheim com tentos do central uruguaio Sebastián Coates, aos 16 minutos, e de Bruno Fernandes, que apontou o seu terceiro tento no agrupamento, aos 38.

Na classificação, o Sporting passou a somar nove pontos, contra sete do LASK, que subiu ao segundo lugar, ao bater em casa por 4-1 o PSV Eindhoven, agora terceiro, também com sete. Os noruegueses continuam a zero e estão eliminados.

As equipas

Silas fez várias alterações em relação à equipa inicial que perdeu em Tondela. Saíram Ristovski, Acuña, Miguel Luís e Luiz Phellype para a entrada de Luís Neto, Rosier, Eduardo e Borja.

Onze do Sporting: Renan; Tiago Ilori, Coates e Luís Neto; Rosier, Eduardo, Doumbia, Borja; Bruno Fernandes, Vietto e Bolasie.

Onze do Rosenborg: André Hansen; Hedenstad, Meling, Reginiussen, Jensen, Søderlund, Trondsen, Hovland, Åsen, Lundemo e Adegbenro.

O jogo: Está tudo na (boa) gestão 

O Rosenborg é uma equipa forte nas bolas paradas, cruzamentos e jogo aéreo. Por isso mesmo, o Sporting jogou com três centrais numa tentativa de contornar esse ponto forte dos noruegueses, Neto mais do lado direito e Ilori mais para o esquerdo, Coates ao centro.

O Sporting entrou bem no jogo, com mais bola e a movimentar-se com facilidade. Já o Rosenborg só conseguia aproximar-se no último terço leonino através de bolas paradas.

Quando o jogo estava ainda a aquecer surgiu o golo de Coates que deixou o Rosenborg ainda mais em baixo de forma. Na sequência de um canto para a equipa portuguesa, Luís Neto insistiu até conseguir fazer o cruzamento e o central leonino apareceu ao segundo poste e de cabeça fuzilou Hansen.

Depois de uma má reação inicial ao golo do Sporting, o Rosenborg começou a crescer no jogo, embora com algumas dificuldades em acertar passes. Mesmo assim, os leões continuavam a dominar o encontro com muita segurança. A equipa de Silas tinha mais bola e mais passes acertados que o adversário. Além disso, apresentava-se dominadora e com um nível de intensidade elevado.

Bruno Fernandes estava mais apagado que o normal. Vietto veio tirar brilho ao capitão leonino no sistema de Silas. O internacional português aparecia menos em zonas de finalização e, consequentemente, marcava e assistia menos. No entanto, nem a alteração tática fez Bruno Fernandes parar e o capitão do Sporting acabou mesmo por fazer o gosto ao pé, aos 38 minutos da primeira parte. Doumbia aproveitou um erro defensivo e recuperou uma bola a meio campo, meteu no capitão leonino que, já na área, tirou o adversário da frente e atirou para o 2-0.

A equipa do Sporting recolheu ao intervalo a vencer com justiça, apesar de não ter feito uma exibição extraordinária.

A segunda parte começou com um ritmo de jogo lento, que foi crescendo à medida que os minutos iam passando. O Rosenborg cresceu bastante e foi ameaçando cada vez mais a baliza do Sporting. Os leões tinham nessa altura dificuldade de sair a jogar e o encontro disputava-se maioritariamente no meio-campo dos 'verdes e brancos'.

Depois do intervalo, o Sporting perdeu o domínio que mostrou na primeira parte e nem a posse de bola conseguiu manter. O Rosenborg tinha já 70% da posse de bola e explorava as fraquezas dos leões com alguma facilidade.

O Sporting ia permitindo que os noruegueses se movimentassem à vontade e as oportunidades de golo iam aparecendo, mas faltou a eficácia e, a verdade, é que o Rosenborg não chegou ao golo.

Olhando para os 90 minutos de jogo é possível perceber que o resultado foi totalmente traçado na primeira parte. O Sporting beneficiou de uma entrada fresca e com motivação. O resto do jogo baseou-se apenas na gestão da vantagem de dois golos. Apesar de a exibição leonina não ter sido espetacular, a vitória foi justa e teve bastante mérito do Sporting, embora também com demérito do Rosenborg, que mostrou ter pouca qualidade.

Polémica: Continuam os penálties por assinalar

Se há coisa de que os leões se podem queixar é dos penálties por assinalar a seu favor (não apenas neste jogo, mas em tantos outros para trás). Aos 63 minutos de jogo, Vietto caiu na área num lance com Hovland, o árbitro mandou seguir, mas os leões ficaram a pedir penálti e com razão.

O momento: Vai mais um golo para Coates

Apesar de o golo de Bruno Fernandes ter sido bonito de ver e ter muita qualidade individual foi o golo de Coates que lançou o jogo. Aos 16 minutos, o central uruguaio do Sporting cabeceou para o primeiro golo dos leões e 'atiçou' assim a equipa de Silas, que depois disso correria atrás do segundo.

O melhor: Tu, outra vez?

Além de 'levar para casa' o momento do jogo, Coates ganhou também o título de melhor jogador deste encontro. Num jogo com pouco destaque para a individualidade dos jogadores, o uruguaio destacou-se pelo golo e pelas boas ações defensivas que fez nos 90 minutos. Sem Mathieu, Coates foi patrão na defesa e (quase) fez esquecer o mau momento pelo qual passou recentemente.

O pior: Nada bom a dizer

Borja tem somado más exibições e esta não foi exceção. Perdeu tantas vezes a bola que foi quase impossível contar. A isso junta ainda às más receções. Não deu segurança ao Sporting e chegou mesmo a levar perigo à própria baliza.

Reações

Emanuel Ferro: "Foi um jogo muito bem conseguido, controlámos todos os setores"

Coates: "Sei quando estou bem e mal, mas nunca duvidei de mim"

Bruno Fernandes: "Fomos inteligentes e fizemos um excelente jogo"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.