O Olympiacos, orientado pelo português Pedro Martins, o Estrela Vermelha e o Dínamo de Zagreb confirmaram hoje a presença na fase de grupos da Liga dos Campeões de futebol, ao eliminarem Krasnodar, Young Boys e Rosenborg, respetivamente.

No encontro da segunda mão do ‘play-off’, a formação helénica voltou a ter os lusos José Sá, Rúben Semedo e Daniel Podence entre os titulares e não apresentou grandes dificuldades em superiorizar-se ao 'carrasco' do FC Porto da ronda anterior, depois de ter vencido de forma expressiva na passada semana (4-0).

É a primeira vez que o treinador português vai estar presente na fase de grupos da Liga dos Campeões, nesta que é a 19.ª presença da liga milionária para o conjunto grego.

Bruno Lage foi o nome escolhido para orientar a equipa principal do Benfica (começou como interino para depois ser oficializado a título definitivo) na sequência da saída de Rui Vitória, nos primeiros dias de 2018. Numa altura em que o Benfica tinha sido eliminado da fase de grupos da Liga dos Campeões e empurrado para a Liga Europa, Lage pegou na equipa e levou-a até aos quartos de final da prova, onde viria a ser eliminado pelos alemães do Eintracht Frankfurt nos quartos de final.

Assim sendo, e depois de se sagrar campeão nacional 2018/19, Bruno Lage ouvirá, pela primeira vez, como treinador principal, o hino da Liga dos Campeões.

"Vou-me estrear na bancada [devido à expulsão no último jogo europeu com o Eintracht Frankfurt]. Será uma estreia diferente. Temos a noção de que necessitamos de fazer uma boa campanha para passarmos à fase seguinte, esse tem de ser o nosso grande objetivo. Essa é a história do Benfica, nós temos de entrar determinados nas nossas competições e é para isso que estamos a construir um plantel forte. Essa tem de ser a nossa motivação. As pessoas às vezes entendem o dia a dia, o jogo a jogo, o treino a treino como se fosse uma frase feita ou uma frase muito simples para o treinador do Benfica usar. Aqui, as coisas mudam tão rápido e o nosso trabalho é tanto de analisar e verificar aquilo que vai acontecendo no dia a dia que não há tempo para pensar mais à frente”, disse o treinador dos encarnados numa entrevista à BTV, em julho passado.

O terceiro treinador português a fazer parte da fase de grupos é Luís Castro e o seu Shakhtar Donetsk, que continua destacado na liderança da Liga ucraniana, depois de, este domingo, ter recebido e goleado por 5-1 o Mariupol, em jogo da quinta jornada.

Os tricampeões ucranianos tiveram acesso direto à fase de grupos, tal como o Benfica, ‘apenas’ por vencerem os respetivos campeonato na temporada passada. Na altura, o Shakhtar era treinado por outro português, Paulo Fonseca, que trocou Donetsk por Roma, que não conseguiu acesso às eliminatórias da Liga dos Campeões, sendo um objetivo de Fonseca para a formação romana nesta nova época.

Quanto a Luís Castro, que está a ter a primeira experiência fora de Portugal, foi o técnico que substituiu, curiosamente e igualmente, Paulo Fonseca quando este saiu do FC Porto na época 2013/14. Nesse ano, os dragões foram eliminados na fase de grupos e, portanto, Luís Castro não teve oportunidade de ouvir o hino da Champions, uma vez que a ‘troca’ foi posterior.

Sendo assim, também será a primeira vez que Luís Castro ouvirá a música da Liga dos Campeões.

O sorteio realiza-se na próxima quinta-feira, às 17h00, e vai ser acompanhado aqui no SAPO Desporto.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.