Cristiano Ronaldo alcançou Lionel Messi com cinco Bolas de Ouro, o prestigiado prémio da revista francesa ´France Football` que distingue o melhor jogador do ano. Depois de ter conquistado o prémio ´The Best` da FIFA para melhor da época, o português foi galardoado esta quinta-feira pela revista francesa, depois de uma grande temporada ao serviço do Real Madrid, com a conquista do campeonato espanhol e da Liga dos Campeões.

Os 30 melhores jogadores de 2017

 

CR7 e Messi passam a ter o mesmo número de Bolas de Ouro conquistadas, com cinco cada um. Outras lendas do futebol, como Johan Cruyff, Michel Platini e Marco Van Basten têm três conquistas cada um.

Messi, com 30 anos de idade, levantou o troféu em 2009, 2010, 2011, 2012 e 2015. Já o português, com 33 velas sopradas, venceu o prêmio em 2008, 2013, 2014, 2016 e 2017. Os dois monopolizaram os prémios de melhores jogadores do mundo nos últimos 10 anos.

No ano passado, a Bola de Ouro foi para Ronaldo depois de o jogador português ter guiado o Real Madrid ao 11º título na Liga dos Campeões. Com a seleção portuguesa, o camisola 7 conquistou o primeiro título internacional para as cores lusas, o Euro 2016.

As diferenças entre a Bola de Ouro e o prémio ´The Best` da FIFA

A Bola de Ouro e o prémio ´The Best` da FIFA baseiam-se em critérios diferentes de votação e também no período a que cada prémio diz respeito. A primeira diferença é o rendimento dos nomeados. Enquanto o prémio ´The Best` da FIFA é atribuído ao melhor jogador da temporada, que vai de 20 de novembro de 2016 e 2 julho de 2017, a Bola de Ouro tem por base o ano civil de 2017. Ou seja, para o prémio da FIFA não contou a prestação dos nomeados no início desta época, algo que foi tida em conta na Bola de Ouro da ´France Football`.

No que toca a votação, também há diferenças. Enquanto que no prémio ´The Best`, os votos foram atribuídos pelos selecionadores, capitães de seleções, jornalistas de cada país filiado na FIFA e votos dos internautas no site oficial do organismo, a votação para eleição da Bola de Ouro, é um pouco diferente. A ´France Football` coloca o poder nas mãos da imprensa especializada: 193 jornalistas elegem três jogadores da lista de 30, atribuindo 5, 3 e 1 ponto a cada um dos futebolistas selecionados.

O critério de votação parece simples, combinando elementos do rendimento individual, como golos e assistências, com os títulos coletivos do ano. No entanto, o prémio, em algumas ocasiões, também destaca a carreira dos jogadores.

As casas de apostas britânicas davam claro favoritismo a Ronaldo, algo que veio a confirmar-se.

O Top5 das apostas era completado por Messi, Neymar, Buffon e Harry Kane. A aposta no atacante inglês dava 66 libras (74 euros) por cada 1 libra (1,13410 euros) apostada na surpresa, caso o jogador do Tottenham levantasse o troféu.

Liga, Champions e melhor marcador europeu: Ronaldo ficou com tudo

A temporada 2016-2017 iniciou algo morna para Cristiano Ronaldo. Mas o final foi apoteótico, com os títulos do Campeonato Espanhol e o bicampeonato consecutivo na Liga dos Campeões, feito inédito na era moderna da competição.

Ronaldo terminou a edição do ano passado da 'Champions' como o melhor marcador, com 12 golos marcados. Oito deles foram apontados nas fases decisivas, sendo que dois foram marcados na final contra a Juventus (4-1).

"A temporada passada foi sensacional. Conquistámos a Liga e a Champions, sendo um mais uma vez o melhor marcador", afirmou Ronaldo, em entrevista recente ao jornal francês L'Equipe.

Os feitos da equipa merengue colocaram seis jogadores do Real Madrid no grupo de 30 jogadores candidatos à Bola de Ouro: Karim Benzema, Isco, Luka Modric, Sergio Ramos, Toni Kroos e Cristiano Ronaldo.

O Barcelona, por outro lado, só conseguiu colocar a dupla de atacantes formada por Messi e o Uruguaio Luis Suárez. Os catalães foram eliminados pela Juventus nos quartos-de-final.

Ronaldo não se satisfaz em alcançar Messi com cinco Bolas de Ouro: "Quero sete. Cinco é bom, mas sete é meu número da sorte e seria incrível", afirmou o jogador.

CR7 quer sete filhos e uma Bola de Ouro para cada um. Ainda vai a tempo?

"Quero sete filhos e sete Bolas de Ouro", insistiu o português, que recentemente teve o seu quarto herdeiro.

A medida que o tempo foi passando, ficou claro que não haveria surpresas sobre o vencedor do prestigiado troféu, ao contrário da época passada em que o evento esteve envolto em surpresas.

Em 2010, Messi levou o título, apesar de Xavi e Iniesta que completaram o pódio terem vencido o campeonato do mundo ao serviço da Espanha. No mesmo ano, o médio holandês Wesley Sneijder liderou a Inter de Milão ao inédito 'triplete', com as conquistas da Liga dos Campeões, Serie A e Copa da Itália. Além disso, o médio holandês ainda disputou a final do campeonato do mundo com a Holanda.

Português vai brilhando na Champions... Na Liga Espanhola a ´música` é outra

Ronaldo teve um arranque complicado em 2017/2018, ao ter apontado até ao momento apenas dois golos no campeonato do espanhol, com Real Madrid a oito pontos de distância do Barcelona. É na Liga dos Campeões que o craque português tem encontrado o caminho do golo. CR7 lidera a lista dos melhores marcadores da fase de grupos, com nove golos e tornou-se, esta quarta-feira, no primeiro jogador a marcar em todas as jornadas de uma fase de grupos da Champions.

O ponto de alto de Messi no início da temporada foram os seus três golos na vitória por 3-1 sobre o Equador da Argentina que assim confirmou o bilhete para o Mundial da Rússia em 2018. O craque argentino de 30 anos tem apenas três golos na Liga dos Campeões, mas lidera a tabela dos melhores marcadores da Liga Espanhola, com 13 golos em 14 jogos.