O Real Madrid oficializou, esta segunda-feira, o regresso de Zinedine Zidane como técnico dos merengues. O Técnico assinou até 2022. O clube blanco também anunciou a saída do treinador argentino Santiago Solari. Está marcada uma conferência de imprensa para a apresentação de Zidane às 19h00 (hora portuguesa) no Santiago Bernabéu.

Foi o clube merengue que confirmou o regresso do francês nas redes sociais. A Solari terá sido oferecida a continuidade em outro cargo.

O primeiro treino com o novo timoneiro terá lugar já nesta terça-feira.

Entretanto o clube merengue publicou um vídeo na rede social Twitter sobre o regresso do francês ao banco, recordando os seus triunfos no Real Madrid.

Veja o comunicado

"A Junta diretiva do Real Madrid reuniu-se nesta segunda feira e decidiu rescindir o contrato que vinculava Santiago Solari ao clube merengue, como primeiro treinador da equipa.

O Real Madrid agradece o trabalho realizado por Santiago Solari e o compromisso e a lealdade que sempre demonstrou nesta casa.

A Junta Diretiva acordou também a nomeação de Zinedine Zidane como novo treinador do Real Madrid, com incorporação imediata no que resta da temporada e nestas três restantes, até 30 de julho de 2022", pode ler-se.

O presidente do Real Madrid também vai comparecer junto de Zidane numa conferência de imprensa às 20h00, 19h00 em Portugal, mas na sala de imprensa do Bernabéu. Local que servirá para oficializar o regresso do gaulês ao banco 'blanco'.

Chegou ao fim a incógnita em torno do futuro próximo do Real Madrid, no que diz respeito ao treinador. Florentino Pérez privilegiou o regresso de Zinedine Zidane para levar a cabo a revolução necessária no Real Madrid, que vai passar fundamentalmente pela renovação pejado de muitas estrelas que se cansaram de ganhar.

O fim da linha para Solari estava já pré-anunciado, depois de últimos dias negros para o Real Madrid depois da dupla derrota frente ao Barcelona para a La Liga e Taça do Rei e eliminação e derrota sem apelo nem agravo antes o Ajax, por 4-1, que conduziu a uma saída sem brilho do campeão europeu que perdeu o ceptro de uma forma vexatória. Só com a La Liga pela frente, os 'merengues' estão já uma distância demasiado grande do líder Barcelona para poderem apontar ao título na La Liga (12 pontos).

Fim da linha para Solari

Depois de ter assumido o comando técnico do Real Madrid no final de outubro, na condição de interino, e mais tarde como treinador principal, o argentino somou em 30 partidas no banco do Real Madrid: 22 vitórias, dois empates e duas derrotas. 71 golos marcados e 37 sofridos. Acabou por ser o fim da linha esperado,  depois da eliminação do Real Madrid da Liga dos Campeões, da Taça do Rei e com os merengues a demasiados pontos do líder Barça. O técnico deixa o clube merengue com um título depois de ter vencido o Mundial de Clubes.

Ainda assim um número ficou na retina dos adeptos merengues. O Real Madrid esteve durante seis encontros sem sofrer qualquer golo. Santiago Solari passa a ser o 13.º treinador da era de Florentino Pérez.

Balneário que terá que ser gerido com 'pinças'

Antes do final da temporada, e com a eventual dispensa e venda de vários atletas, o balneário, até ao fecho da época, terá que ser gerido com pinças por Zidane. São várias as problemáticas no seio do plantel merengue. Um dos problemas é Gareth Bale. Depois da partida frente ao Ajax, Bale não mais voltou a treinar com os merengues, apesar de não constar nos relatórios médicos.

Gale aproveitou para publicar na sua conta do Twitter, um vídeo de um torneio de golfe em que participou em 2018.

O regresso de Zidane

Está assim de regresso o francês, nove meses, oito dias e dois treinadores (Lopetegui e Solari) depois do francês ter renunciado ao banco do Real Madrid, na ressaca da conquista da terceira Liga dos Campeões consecutiva, em duas temporadas e meia.

Depois de um carreira brilhante enquanto jogador, Zidane iniciou a sua carreira de treinador no Real Madrid. Auxiliou Mourinho e Ancelotti, antes de assumir o comando do Castilla. Passou uma temporada e meia na filial, em que acabou em sexto no primeiro ano e deixou a equipa na segunda posição. Depois do final da primeira volta, tomou as rédeas da primeira equipa.

Sergio Ramos e a saída de Zidane:
Sergio Ramos e a saída de Zidane: "O teu legado é inapagável"

O seu palmarés acaba por falar por si: Três Champions, uma Liga, dois Mundiais de Clubes, duas Supertaças Europeias e uma Supertaça espanhola. Os triunfos valeram-lhe um prémio The Best, como melhor treinador em 2016/2017.

Domou as estrelas 'merengues'

Para além dos títulos em campo, conseguiu ganhar o balneário. Não se deixou engolir por paletes de estrelas, e a sua liderança foi serena. Estabeleceu um núcleo duro e convenceu Cristiano Ronaldo a reservar-se para os momentos-chave.

Saiu, diz-se em Espanha, por desgaste, ele próprio reconheceu isso no momento da despedida: "Os jogadores necessitam de uma mudança. Pedimos muito aos jogadores, num clube exigente, e há momentos em que não se pode pedir mais".

Como técnico, Zidane logrou um score impressionante de 104 vitórias, 29 empates e 16 derrotas em 149 partidas.

Zidane, estrela também como jogador

Chegou ao Real em 2001 e foi a estrela dos chamados galáticos onde também se incluía o português Luís Figo. Foi durante muito tempo a contratação mais cara do futebol mundial. Os merengues pagaram 78 milhões de euros pela sua contratação à Juventus.

Venceu a Champions, a La Liga, a Taça Intercontinental, a Supertaça e duas Copas do Rey. Brilhou na Juventus e teve ainda passagens pelo Bordéus e Cannes. Fez parte da geração de ouro que venceu o Mundial de 1998 e Europeu de 2000.

O primeiro a conquistar três títulos europeus

O francês Zinedine Zidane tornou-se no primeiro treinador a conquistar três títulos europeus consecutivos, ao conduzir o Real Madrid ao triunfo frente ao Liverpool, por 3-1, na final da Liga dos Campeões.

Zidane e Ronaldo
Zidane e Ronaldo créditos: AFP or licensors

O francês, que tinha vencido uma Liga dos Campeões como jogador, igualou, com três títulos, o inglês Bob Paisley e o italiano Carlo Ancelotti, embora estes não o tenham conseguido de forma consecutiva.

Paisley conduziu o Liverpool aos títulos da então Taça dos Campeões Europeus em 1976, 1977 e 1981, enquanto Ancelotti foi campeão, já na era 'Champions' em 2003 e 2007 com o AC Milan e em 2014 com Real Madrid.

Zidane, de 45 anos, deixa para trás um conjunto de 17 treinadores que conquistaram duas Taças dos Campeões/Ligas dos Campeões, entre os quais o húngaro Béla Guttman, campeão pelo Benfica em 1961 e 1962, e o português José Mourinho, que venceu com o FC Porto em 2014 e com o Inter de Milão em 2010.

Zidane, de 45 anos, chegou aos ‘merengues’ em janeiro de 2016, na sua primeira experiência numa equipa principal, para substituir o espanhol Rafa Benítez, e foi o primeiro técnico a conquistar de forma consecutiva três ‘Champions’.

Pelo Real Madrid, equipa do internacional português Cristiano Ronaldo, conquistou ainda dois Mundiais de clubes, duas supertaças europeias, uma Liga espanhola e supertaça de Espanha.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.