A participação do Sagrada Esperança da Lunda Norte no GirabolaZap2018/19 que inicia em outubro, além da contratação do novo técnico, são factos que dividem opiniões dos adeptos contactados quarta-feira pela Angop no Dundo.

Em relação ao treinador Agostinho Tramagal, desejou sucesso neste novo desafio, considerou uma "boa escolha", visto que tem uma "longa" experiência, além de conhecer a equipa, que já orientou em 2000.

Para este aficcionado, Tramagal está em condições de concretizar os objetivos da direção do clube (melhorar prestação no Girabola) desde que reforce o plantel com jogadores experientes.

Já o cabeleiro André Ngunza Palanga discorda, preferindo os técnicos (Francisco Moniz e Roque Sapiri) que "seguraram" o conjunto em "momentos difíceis", após a saída do técnico Ekrem Asma, na 11.ª jornada.

Argumenta que estes já conhecem os jogadores do plantel, com quem se posicionaram o 6.º lugar em 2018.

“É importante apostar nos quadros, mas não continuar a ser salvadores da equipa. É o momento de se mudar as coisas”, afirmou, tendo defendido ainda uma oportunidade de formação, em matéria de treinamento para os referidos técnicos.

A ideia foi corroborada por Adelino Jorge, porque o técnico do 1º de Maio de Benguela não é o ideal, visto que se pretende o alcance dos lugares cimeiros, ou mesmo a conquista do título.

Diz-se a favor de um voto de confiança à dupla técnica, ao reconhecer o desempenho, durante a prova, com realce na fase derradeira, onde os atletas jogaram em pé de igualdade com os seus adversários. “O Sagrada travou o 1º de Agosto, e o Petro, por isso, foi positivo”, frisou.

Afirmou ainda que o Sagrada Esperança é uma agremiação de dimensão nacional e internacional, daí a necessidade de apostar na contratação de jogadores que marquem a diferença no conjunto, rumo à conquista do título.

Alberto Bumba diz que Tramagal "tem perfil" para dirigir os lundas, mas defende coesão e interacção, entre os responsáveis do emblema diamantífero para evitar repetir erros do passado.

Enalteceu jogadores e técnicos, mas avaliou como negativa a época apelando para melhoria nos sectores da defesa e meio campo.

O Sagrada Esperança ocupou o sexto lugar, com 36 pontos, fruto de 27 jogos, sendo oito vitórias, sete derrotas e 12 empates, em relação ao período anterior, na terceira posição, com 53 pontos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.