Dieumerci Ndongala 'ganhou' uma história nada agradável para contar, depois de ter sido parado pela Polícia belga, na sequência de um possível roubo numa loja. O internacional pela República Democrática do Congo estava a fazer compras para os filhos numa loja da marca H&M na vila belga de Vilvorde quando foi mandado parar pela polícia. Foi o próprio a contar o que se sucedeu.

"Eu paguei as minhas compras e depois dois polícias mandaram-me parar porque supostamente eu teria roubado algo. Revistaram-me, revistaram o meu saco das compras. Foi incrível, até pensei que se tratasse de algo para os apanhados", começou por explicar, num vídeo publicado nas redes sociais.

"A gerente da loja chegou e eu perguntei-lhe se ela me tinha visto a roubar alguma coisa. Ela disse que não, mas que tinham visto várias etiquetas de alarme arrancadas da roupa e espalhadas no chão da loja e que pensaram que tinha sido eu. Foi uma grande humilhação, estou extremamente indignado", disse Ndongala, explicando depois que a polícia afirmou que foi chamada por causa de um africano com longas tranças.

Esta não terá sido a primeira vez que Dieumerci Ndongala viveu uma experiência do género: "Só quero ir fazer as minhas compras tranquilamente ou jantar tranquilamente num restaurante sem que me chateiem", atirou jogador de 28 anos.

Contactado pelo jornal 'Gazet van Anwterpen', H&M acabou por pedir desculpas pelo sucedido e explicou: "Nesta loja em Vilvorde, temos tido vários roubos. A Polícia já nos disse para os chamar imediatamente assim que suspeitarmos de alguma coisa. O Sr. Ndongola estava a comportar-se de maneira estranha, então chamamos a polícia", justificou um porta-voz da empresa, sublinhando que a empresa é a favor da diversidade e contra qualquer tipo de discriminação.

Ndongala transferiu-se do Standard Liège para o Racing Genk. Esta época vai jogar a Liga dos Campeões.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.