O jornal britânico The Guardian publica, este sábado, uma extensa reportagem sobre Rui Pinto, pirata informático detido preventivamente em Portugal, país para o qual foi extraditado há três semanas. Este trabalho é em boa parte suportado em declarações de Rafael Buschmann - um dos jornalistas do Der Spiegel ligado às revelações do Football Leaks.

A referida publicação refere que existem, neste momento, negociações entre as justiças francesa e portuguesa com o objetivo de conceder imunidade ao 'hacker' do modo a ajudar a polícia financeira de França a prosseguir com as investigações sobre alegados casos de corrupção e fuga fiscal.

O Parquet National Financier (PNF), instituição judiciária francesa, investigou a alegada corrupção nos votos dos Mundiais de 2018 e 2022 e é responsável pela aplicação da lei contra crimes financeiros em França. O organismo gaulês defende que o valor das revelações de Rui Pinto é bem mais importante do que a alegada gravidade do crime contra a Doyen de que é acusado em Portugal.

Rafael Buschmann, o já referido jornalista do jornal alemão Der Spiegel, contou ao jornal britânico quais as motivações de Rui Pinto.

"Rui foi inspirado pela ideia de tentar limpar um negócio. Falei com ele muitas vezes sobre essa situação e sobre tudo o que ele está a sacrificar. Para ele tudo isto é um assunto muito sério - o negócio do futebol não é apenas um jogo hoje em dia. Tornou-se uma grande máquina de lavagem de dinheiro para os super-ricos. Esse é o maior esforço de Football Leaks, chamar a atenção para o lado obscuro deste negócio", pode ler-se.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.