Estas são as notícias que todos gostamos de dar. José Henrique, antigo lateral de Valência, Newcastle e Liverpool revelou, nesta segunda-feira, que venceu a batalha que estava a travar contra um tumor cerebral.

O espanhol utilizou as redes sociais para revelar a boa nova.

Recorde-se que com apenas 31 anos, José Enrique tinha colocado um ponto final na carreira de jogador. Uma lesão grave num joelho obrigou o antigo lateral esquerdo do Liverpool a 'pendurar' as chuteiras em 2017. Uma decisão difícil de aceitar. Meses depois, outra notícia pior: em maio de 2018 foi-lhe diagnosticado um tumor cerebral.

"Olhava para a luz e doíam-me os olhos. O meu irmão disse que era cansaço, mas, quando acordei no dia seguinte não estava a ver bem do olho esquerdo. [...] Depois dos exames disseram-me que não era um derrame, mas sim um tipo de tumor muito raro que se desenvolve no crânio e na coluna, que estava ali desde muito jovem", contou o jogador, ao jornal 'The Times'.

O antigo jogador contou na altura que tinha ficado assustado com a notícia, tal como a namorada inglesa. Mas decidiu que tinha de lutar a contra a doença.

"Quando ouves que tens um tumor maligno pensas logo que vais morrer. Enquanto futebolista sentia-me invencível, porque estava em boa forma, mas depois surge algo assim e assustas-te. Disseram-me que depois da operação seria submetido a radioterapia, quimioterapia e terapia de protões. A minha namorada estava muito assustada, mas ajudou-me a pensar que tinha de lutar por ela. Outras pessoas não têm tanta sorte", atirou.

Para o antigo lateral espanhol, lidar com o cancro foi mais fácil do que a decisão de deixar o futebol.

"Pareceu-me mais fácil aceitar que tinha o tumor do que aceitar o final de carreira, com a lesão no joelho. Era um jogador perdido, fazia parte de uma equipa que tinha os outros 25 jogadores a treinarem normalmente, a jogarem e a divertirem-se. A reforma é difícil de aceitar para muitos jogadores, nos primeiros meses foi complicado", explicou.

O jogador foi operado em Paris e fez o resto da recuperação em Espanha. José Enrique revelou também que perdeu a capacidade de chorar.

"Foi uma operação de risco elevada. Expus-me a um tratamento novo para estes casos, a protonterapia, e, em consequência disso, já não consigo chorar, porque não gero lágrimas", contou, agora numa entrevista ao jornal 'Marca', 15 de janeiro.

Depois de 'pendurar' as chuteiras, juntou-se ao irmão numa empresa de representação de futebolistas.

"Gosto muito de conversar com futebolistas. Já ajudava jovens quando estava no Liverpool, como Sterling, por exemplo. Tento sempre tranquilizá-los quando jogam e tento ser o mais sincero possível com eles", frisou.

José Enrique foi formado no Levante, de onde saiu para o 2005/2006. Passou ainda pelo Newcastle, Villarreal e Liverpool, antes de voltar a Espanha para jogar no Saragoça, onde terminou a carreira em 2016/2017, com 27 jogos e um golo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.