As competições escocesas de futebol vão continuar suspensas "pelo menos até 10 de junho", devido à pandemia da covid-19, informou hoje a Federação Escocesa de Futebol, através de comunicado divulgado no site oficial.

Após uma reunião da direção daquela federação, foi decidido, "de forma unânime, prolongar a suspensão do futebol a todos os níveis, seja profissional ou recreativo, pelo menos até 10 de junho", anunciou o organismo, que, no mês passado, tinha interrompido a modalidade até 30 de abril.

"A mensagem é clara: as restrições impostas pelo governo para salvar vidas devem ser respeitadas, não se prevendo o regresso aos treinos a curto prazo, muito menos um retomar das competições nas próximas largas semanas", afirmou o presidente da federação escocesa, Rod Petrie.

Petrie considera que a decisão permite "ajudar os clubes a salvaguardar o bem-estar de jogadores, staff e adeptos, bem como atenuar os custos" decorrentes desta paragem.

O presidente da Federação Escocesa de Futebol deixou ainda uma palavra de apreço a "todos os que trabalham no Serviço Nacional de Saúde escocês e no setor da saúde", acrescentando que o futebol do país não os pretende "sobrecarregar ainda mais, numa altura que todos os recursos estão a ser levados ao limite por causa da covid-19".

Quase todos os países suspenderam as competições por tempo indeterminado, devido à propagação do novo coronavírus, sendo que, na Europa, a exceção é a Bielorrússia, onde o campeonato continua a decorrer.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 89 mil. Dos casos de infeção, mais de 312 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 409 mortes e 13.956 casos de infeções confirmadas. Dos infetados, 1.173 estão internados, 241 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 205 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril, depois do prolongamento aprovado no dia 02 de abril na Assembleia da República.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.