Não se deixe enganar pelos números. O triunfo de Portugal sobre a Sérvia (4-2) foi bem mais difícil do que pareceu. Depois de uma primeira meia-hora desinspirada, o primeiro golo luso surgiu já perto do intervalo, num lance caricato aproveitado da melhor forma por William Carvalho. Na segunda parte, a equipa lusa melhorou ofensivamente e acabou por fazer mais três golos, garantindo assim o primeiro triunfo na fase de qualificação para o Europeu de 2020, que lhe permite subir ao segundo lugar do grupo B.

Depois de dois empates caseiros nos dois primeiros jogos, Fernando Santos recorreu ao onze com que venceu a Liga das Nações para o duelo deste sábado em Belgrado, com Gonçalo Guedes, Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva na frente, e William Carvalho e Danilo no meio-campo, atrás de Bruno Fernandes. João Félix começou no banco.

A estratégia do selecionador luso acabou por 'esbarrar' numa Sérvia mais retraída, a defender com as linhas muito próximas, o que dificultava as tentativas de Portugal para fazer mossa. Na frente, Ronaldo, Guedes e Bernardo não conseguiam desequilibrar, enquanto os sérvios procuravam explorar os espaços nas costas de Nélson Semedo e Raphael Guerreiro.

Após um ou outro calafrio, Portugal chegou à vantagem aos 42 minutos, com um golo praticamente caído do céu: Bruno Fernandes levantou para a área, Dmitrovic fez-se ao lance, mas acabou por chocar contra Mitrovic, com a bola a sobrar para William Carvalho, que só precisou de encostar.

Em desvantagem no marcador, a Sérvia começou a subir no terreno - porque só assim podia chegar ao golo - e a equipa lusa passou a ter mais espaço para atacar. A segunda parte começou com dois avisos de Ronaldo: primeiro num remate cruzado esquerda para dentro, depois na cobrança de um livre em zona frontal.

E o segundo golo surgiu pouco depois. A bola passou por Bernardo, Ronaldo e Bruno Fernandes até chegar a Gonçalo Guedes, que ainda tirou um adversário do caminho para depois rematar de pé esquerdo para o fundo da baliza.

Já depois da saída de Nélson Semedo, devido a lesão (entrou João Cancelo), a Sérvia aproveitou da melhor forma uma enorme desatenção defensiva de Portugal e fez o 2-1: Milenkovic ganhou espaço face à passividade de Danilo, após canto batido na esquerda, e reduziu para a equipa da casa.

Logo a seguir, uma 'bomba' de Ljajic obrigou Rui Patrício a defender com a ponta dos dedos por cima da trave. A Sérvia despertou com o golo, o que levou Fernando Santos a refrescar o ataque, lançando João Félix para o lugar de Gonçalo Guedes.

A dez minutos dos 90', Bernardo Silva rasgou a defesa contrária com um passe soberbo para Ronaldo, no limite do fora de jogo. O capitão picou a bola sobre o guarda-redes sérvio e com o 3-1 silenciou os adeptos que passaram grande parte do jogo a assobiá-lo sempre que tocava na bola.

Faltava pouco para o fim do jogo, mas ainda havia muita emoção pela frente. Aos 85' Mitrovic fez o segundo para a Sérvia após um disparate de Bruno Fernandes, e voltou a relançar a partida... por um minuto. Bernardo Silva (o melhor em campo) deixou Portugal a respirar de alívio com o 4-2 final, que garantiu aos campeões europeus o primeiro triunfo da fase de qualificação. O campeão europeu não deslumbrou, é um facto, mas desta vez venceu e num terreno complicado.

O momento

4-2 por Bernardo Silva: Contra-ataque rápido iniciado por William Carvalho, com Raphael Guerreiro a servir o jogador do Manchester City, que rematou colocado para o 4-2. O golo restabelecia a diferença de dois golos na Sérvia e tranquilizava as hostes portuguesas.

O melhor

Bernardo Silva: Esteve desaparecido na primeira parte, mas acabou por redimir-se no segundo tempo, com uma assistência soberba para Cristiano Ronaldo no terceiro golo de Portugal, e depois com o golo com que matou o jogo.

Os pior

Erros defensivos: Portugal continua a evidenciar fragilidades a nível defensivo que precisa corrigir o quanto antes: Nélson Semedo ficou várias vezes para trás nos duelos com Kostic, e Danilo comprometeu no lance do golo de Milenkovic.

Reações

Fernando Santos: "Disse que tínhamos de vencer os seis jogos que restavam e vamos tentar isso"

Gonçalo Guedes: "Félix? Não sinto pressão, o mister é que decide quem deve jogar"

Danilo: "Não trememos e fomos em busca de mais golos"

Bernardo Silva: "Não há jogos tranquilos"

Matic: "Portugal pode ser a melhor equipa do Mundo nos próximos anos"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.