O diretor da federação alemã de futebol Oliver Bierhoff, saiu em defesa esta segunda-feira da dupla alemã Ilkay Gundogan e Emre Can, mas admitiu que “cometeram um erro” ao colocarem ‘gosto’ numa publicação com a foto de futebolistas turcos a fazerem uma saudação militar enquanto celebravam um golo.

Gundogan e Can, que têm raízes turcas, envolveram-se em polémica, depois de colocarem ‘gosto’ numa publicação de Cenk Tosun, o marcador do tento da vitória, publicou a fotografia dos jogadores turcos a celebrarem o golo frente à Albânia na passada sexta-feira, com uma saudação militar. e escreveu: “Pela nossa nação e principalmente por aqueles que arriscam a vida pelo nosso país”.

A publicação foi vista como uma declaração de apoio à ofensiva militar turca na Síria, mas os jogadores alemães retiraram rapidamente o ‘gosto’ e emitiram um pedido de desculpas.

Bierhoff, diretor da federação, disse ao site da Federação Alemã de Futebol que ele e o selecionador Joachin Loew falaram com ambos os jogadores que “sabem que foi um erro”.

“Eles são modelos, milhares seguem-nos nas redes sociais. Eles têm de ter noção da grande responsabilidade e do impacto que o que dizem e o que fazem pode ter. Ambos falaram aos jornalistas depois do jogo. Garantiram-nos que não queriam fazer uma declaração politica. Confiamos na sua justificação de que não teriam qualquer intenção politica”, afirmou.

A Federação Alemã de Futebol (DFB) publicou uma imagem na segunda-feira da equipa sénior com a descrição “contra todas as formas de violência e discriminação”.

Bierhoff disse que o plantel alemão queria apoiar a dupla, que revelou estar “em baixo” devido ao incidente do Instagram, depois da vitória por 3-0 contra a Estónia em Tallinn, no passado domingo, a contar para a qualificação para o Euro2020.

Gundogan marcou dois golos na segunda parte, mas Can foi expulso aos 14 minutos – a expulsão mais rápida de sempre de um jogador alemão.

“Qualquer pessoa que conheça os jogadores sabe que ambos são contra o terror e a guerra. Eles deixaram bem claro que não foi uma ação política”, disse Loew depois do jogo.

Can mostrou-se arrependido por ter ‘gostado’ da publicação, insistindo que não apoia o conflito armado.

“Sou um pacifista e contra todas as formas de guerra”, afirmou.

Há cerca de um ano, Gundogan viu-se envolvido num escândalo semelhante na véspera do Mundial de 2018 por posar para fotografias com o colega de equipa Mesut Ozil, junto do presidente turco Recep Tayyip Erdogan.

Gundogan afirma que removeu o ‘gosto’ da publicação de Tosun assim que se apercebeu que podia ser mal entendido.

“Só posso reafirmar que não houve qualquer intenção política. Queria felicitar um amigo (Tosun) pelo golo e pela vitória”, afirmou.

Ainda assim, o tabloide alemão ‘Bild’ não ficou impressionado com a explicação de Gundogan.

“Há pessoas que não aprendem – ou aprendem tarde demais! Um erro de ‘click’? Então tem de deixar os dedos longe da internet”, escreveu o jornal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.