O Flamengo, de Jorge Jesus, reforçou quarta-feira o estatuto de indiscutível melhor equipa brasileira do momento, ao ‘arrasar’ o Grêmio por 5-0 e conquistar, 38 anos depois, um lugar na final da Taça Libertadores em futebol.

Jesus aos saltos, Maracanã em ebulição: as imagens fantásticas do Flemengo-Grêmio

Os comandados do treinador português, que já tinham sido bem melhores na primeira mão das meias-finais, merecendo bem mais do que o 1-1, voltaram a exibir a sua superioridade, desta vez materializada com golos.

Um tento de Bruno Henrique, a fechar a primeira parte, aos 42 minutos, e dois do ex-benfiquista Gabriel Barbosa, vulgo Gabigol, aos 46 e aos 56, o segundo de grande penalidade, deixaram a contenda resolvida ainda com mais de meia hora para jogar.

Até ao final, o ‘Fla’ passeou a sua classe e conseguiu chegar à goleada, com dois golos dos centrais, primeiro do espanhol Pablo Marí, aos 67 minutos, após canto de De Arrascaeta, e depois de Rodrigo Caio, aos 71, após um livre de Éverton Ribeiro.

Os 5-0 são o maior triunfo caseiro de sempre do Flamengo face ao Grêmio e o 18.º jogo consecutivo sem perder do conjunto de Jorge Jesus: 15 vitórias e três empates, com 41-8 em golos, depois do 0-3 no reduto do Bahia, em 04 de agosto.

Os cariocas, que ganharam a competição em 1981, estão na sua segunda final da Libertadores, na qual vão defrontar, em 23 de novembro, em Santiago do Chile, os argentinos do River Plate, detentores do título, que afastaram os compatriotas do Boca.

Para o Flamengo, será a segunda final da principal competição da América do Sul, e, para Jorge Jesus, a terceira de uma prova internacional de clubes, depois de duas derrotas pelo Benfica na Liga Europa, com Chelsea (2012/13) e Sevilha (2013/14).

Além de estar a um triunfo da final da ‘Champions’ da CONMEBOL, o conjunto do Rio de Janeiro segue destacado na liderança do campeonato brasileiro, 10 pontos à frente do campeão Palmeiras, a 11 jornadas do fim - será o primeiro desde 2009.

Veja o resumo do jogo e os cinco golos do encontro

O jogo começou equilibrado, com o Flamengo a fazer a primeira ameaça, num cabeceamento de Gabriel Barbosa que Paulo Victor segurou, aos 11 minutos, e o Grêmio a responder por Maicon, com um grande falhanço, aos 19, após centro da esquerda de Everton.

Aos poucos, a equipa da casa assumiu o comando e foi criando perigo, primeiro num cabeceamento de Bruno Henrique que saiu a rasar o poste esquerdo (27 minutos), depois num centro/remate de De Arrascaeta (35) e ainda num ‘tiro’ de Gabigol (40).

A insistência acabou por dar frutos aos 42 minutos, num contra-ataque rápido: Bruno Henrique lançou Gabriel Barbosa e depois fez a recarga vitoriosa, na sequência de uma defesa incompleta de Paulo Victor a remate do ex-benfiquista.

O ‘Fla’ fechou a primeira parte a marcar e abriu a segunda da mesma forma: logo aos 46 minutos, na sequência de um canto marcado na esquerda por De Arrascaeta, André cortou ao primeiro poste, mas para Gabigol, que ‘fuzilou’ de pé esquerdo.

Este golo ‘acabou’ com o Grêmio e libertou, em definitivo, a equipa da casa, que chegou ao terceiro aos 56 minutos, por Gabriel Barbosa, de penálti, cometido por Geromel, ex-Vitória de Guimarães e Desportivo de Chaves, sobre Bruno Henrique.

Também de bola parada, os anfitriões marcaram, depois, mais dois golos quase iguais, de cabeça, após centros da esquerda: o espanhol Pablo Mari desviou um canto de De Arrascaeta, aos 67 minutos, e Rodrigo Caio um livre de Éverton Ribeiro, aos 71.

Na parte final, o Flamengo acalmou, mas ainda poderia ter chegado ao sexto, nomeadamente pelo ex-portista Diego, que entrou aos 87 minutos, para o primeiro jogo desde 24 de julho, e quase faturou aos 90. Antes, aos 86, Diego Alves brilhou face a Éverton.

Jesus fala em 'obra feita', dá exemplo do Benfica e diz que quer vencer a Libertadores

Jorge Jesus disse hoje à agência Lusa que acredita que sairá vencedor da Taça Libertadores, naquela que é a sua terceira final numa competição internacional.

"É verdade que esta é a minha terceira final [numa competição internacional], é muito importante. Já tive duas, as quais perdi: uma por grandes penalidades e outra aos 92 minutos (...) Vamos ter a terceira, mas só ganha quem lá chega. Quem não chega às finais nunca vai perder, porque nem sequer lá chega", disse Jesus, numa resposta à agência Lusa.

"Entre a tristeza e a satisfação, estas duas situações estão próximas. Mas em Portugal também costumamos dizer que quando se vai a uma final é para ganhar. Com todo o respeito pelo nosso adversário, queremos ir a uma final para a ganhar", acrescentou ainda o técnico português, que venceu na noite de quarta-feira o Grémio por 5-0.

Após a goleada imposta pelo Flamengo ao Grêmio, Jesus, que se apresentou rouco após os festejos, quis agradecer aos seus jogadores, mas também ao adeptos 'rubro-negro', que classificou de "únicos, diferentes, apaixonados".

"Primeiro quero agradecer aos jogadores por este feito, por este sonho que a 'torcida' do Flamengo há muitos anos andava à procura, e hoje mostrou aqui o porquê. São únicos, diferentes, apaixonados. (...) Hoje foi um ambiente bonito, único, penso eu, no mundo. Todo estamos de parabéns (...) Chegar à final é importante, mas o mais importante é ganhar", reforçou Jesus em conferência de imprensa no emblemático estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Após os cinco golos contra o Grémio, o português revelou que "estudou ao pormenor" o adversário de forma a conseguir quatro golos de bola parada, acrescentando que o sucesso que tem alcançado no Flamengo não é só de hoje, mas sim uma constante nas equipas por onde passa, declarou.

"Estudamos ao pormenor esta equipa, no posicionamento, nos cantos, como é que ela se posicionava. Eu disse aos jogadores, antes de acontecer, que íamos fazer golos de canto fácil, e fizemos", disse Jesus.

"Para nós não é novidade nenhuma, e não é para me valorizar, mas onde chegamos, fazemos isto em todas as equipas por onde passamos. Cheguei a uma grande equipa em Portugal, tipo Flamengo, que não ganhava títulos, e com a nossa chegada começou a ganhar. Hoje é o 'número um' (...) do futebol português", avaliou o técnico, numa referência ao Benfica, que treinou entre 2009 e 2015.

Com os cerca de 40 milhões de adeptos ‘flamenguistas’ rendidos a Jesus, apenas no Brasil, o treinador não se esqueceu dos que torcem pelo clube 'carioca' a partir de Portugal.

"Sei que o jogo foi transmitido em Portugal, começou pelas 01:00 da manhã (hora de Lisboa), terminou pelas 03:00 da manhã, e sei que as audiências foram 'top'. Quero mandar um abraço para Portugal", saudou o treinador lusitano.

Após a partida, o técnico agradeceu ainda ao vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, que, segundo Jesus, tem "uma costela portuguesa", pela confiança que depositou no seu trabalho.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.