O Palmeiras vive dias complicados no Brasil, depois de ter sido afastado da final do campeonato Paulista. A comitiva da equipa campeã do Brasil em 2018 viu o seu autocarro ser atacado com pedras e garrafas de água pelos próprios adeptos quando se dirigiam para o Allianz Parque, onde iam defrontar os colombianos do Junior Barranquilla para a Taça Libertadores.

Um incidente prontamente desvalorizado por Luiz Felipe Scolari, técnico do 'verdão'.

"Viram-me com cara de assustado? Não tenho medo de bandidos, ninguém tem medo de bandidos. Temos é respeito pelo nosso clube e pelos nossos adeptos para os quais trabalhamos. Os jogadores enfrentaram isto com naturalidade. Não vamos dar visibilidade a quem não merece", disse o treinador.

A contestação dos adeptos aumentou e muito após o Palmeiras perder, nos penáltis, com o São Paulo, nas meias-finais do campeonato paulista. Uma eliminação normal, na opinião de Scolari.

"É um campeonato muito bem disputado por grandes equipas e quando chega o 'mata-mata', alguém vai sair vitorioso. Perdemos nos penáltis e temos de aceitar, não adianta ficar a discutir", lembrou Scolari.

O Palmeiras venceu o Junior Barranquilla por 3-0, com golos do ex-Belenenses Deyverson, Dudu e Hyoran. O emblema orientado por Scolari, antigo selecionador de Portugal, ocupa o 2.º lugar do Grupo 6 da Taça Libertadores com nove pontos, menos um que os argentinos do San Lorenzo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.