Esta sexta-feira, o jornal francês 'L'Équipe', publicou uma entrevista com Franck Ribéry, em que o jogador do Bayern de Munique fala do seu futuro no futebol profissional e no emblema bávaro.

O avançado francês de 36 anos, que representa o Bayern desde 2007, começou por recordar os primeiros tempos em Munique.

"Rapidamente me dei conta que o meu clube era o Bayern. Senti que era o clube certo para mim, que reunia tudo o que era necessário para vencer títulos. Passados três [de estar cá] já estava consolidado. Vou fazer 36 anos. Passei um terço da minha vida em Munique, mais de dois terços da minha vida profissional. Isso significa algo. É muito forte", afirmou o experiente avançado.

Confrontado com a raridade que é um jogador conseguir fazer carreira apenas num clube, Ribéry explicou porque aconteceu com ele. "O Bayern é família. Imediatamente, este clube permitiu que me expressasse. O Bayern aceitou-me como eu era. Aqui são todos claros, como eu. Nem eu nem o Bayern fingimos, não há hipocrisia", justificou.

"Nunca vou trair o Bayern. Vamos ver como corre nas próximas semanas. Vamos sentar-nos com a direção e vou continuar no Bayern se puder sempre dar tudo pelo clube. O que é dar tudo? É sentir-me capaz de fazer pelos menos 35 jogos, estar nos grandes encontros", referiu o jogador que está em final de contrato.

"Há uma verdadeira história de amor entre nós. Bayern e Ribery são um casal e uma fidelidade assim é rara de encontrar no mundo do futebol", garantiu.

"Desde pequeno aprendi a lutar. Foi à procura de soluções para as coisas. Nada foi fácil, sei de onde venho. Sempre tive a ideia do esforço. Sou um vencedor e quando tens tudo isto num clube que está entre os cinco melhores do mundo, porque irias para outro lugar? Se me for embora, deixarei o clube como um senhor", garantiu Ribéry.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.