Há pouco mais de quatro meses, em 14 de junho, Jorge Jesus estreava no Brasileirão frente a um adversário de modestas pretensões no campeonato, e o resultado foi um esmagador Flamengo 6-1 Goiás, para delírio da massa rubro-negra presente ao Maracanã. Começava ali uma trajetória notável do treinador português numa das mais complicadas ligas nacionais do planeta que respira futebol. Uma volta depois, e com confortáveis 10 pontos de distância para o segundo colocado, o Flamengo reencontrou o Goiás pela 29ª jornada, mas na região central do país a história foi diferente.

O Flamengo começou a pressionar desde os primeiros segundos, na intensidade que virou a marca registada da equipa de JJ, e o defesa-central Pablo Marí quase marcou logo ao minuto 4’, mas o cabeceamento do antigo jogador do Deportivo La Coruña acertou o ferro. O Goiás respondeu tardiamente e apenas com um remate de longe de Yago, mas a bola passou por cima da baliza do guarda-redes suplente César, uma vez que o camisola 1 do Flamengo lesionou-se às vésperas do encontro e não fora relacionado. 

Após uma primeira parte monótona e de dar sono, a etapa final foi daquelas que quem saiu antes fim certamente arrependeu-se depois. A começar pela excelente triangulação entre Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabriel, com o avançado a rematar por cima, já com o guardião adversário a sua frente. Com a iniciativa do ataque sempre partindo pelos comandados de Jesus, o Flamengo abriu o marcador no minuto 55’, na sequência de um canto que encontrou a cabeça de Rodrigo Caio, e após defesa incompleta de Tadeu, Gabriel, sempre ele, a marcar o golo de número 20, que o deixa ainda mais isolado na ponta da tabela dos melhores marcadores do Brasileirão’2019. Pouco depois, novo pontapé de canto para o Flamengo, a bola desta vez a encontrar Bruno Henrique, e após o esférico resvalar na cabeça do extremo, Rodrigo Caio completou. 0-2 Flamengo ao minuto 63’, e já havia quem abandonasse o estádio Serra Dourada.

Fatigado pelo intenso e insano calendário, os jogadores do Flamengo nitidamente baixaram o ritmo, e o castigo começou a se desenhar ao minuto 77’, após centro de Michael, um dos avançados em alta neste Brasileirão, para o veterano Rafael Moura descontar. A partir daí, o eixo da partida inverteu-se, com o Goiás a pressionar uma acuada defesa rubro-negra. Já no minuto 89’, o guarda-redes César foi obrigado a intervir fora da grande área, e após a falta foi expulso. Com o Flamengo a rezar para o fim do encontro e o Goiás a avançar para o ataque, ao minuto 94’ a bola sobrou para Michael, livre no corredor esquerdo, que rematou na saída do guardião suplente do suplente, Gabriel Batista. Ao fim do agitado encontro, nota para uma áspera discussão entre Gabriel e William Arão, com o avançado rubro-negro a reclamar ao companheiro pela perda da bola no meio de campo que resultou no ataque fulminante da equipa goiana. Com o empate, a abissal diferença de 10 pontos de vantagem do Flamengo em relação ao Palmeiras foi reduzida para oito, isto porque a equipa alviverde deu show no clássico frente ao São Paulo.

No Choque Rei, com é conhecido o derby paulistano entre Palmeiras e São Paulo, não houve discussões, nem sequer um esboço de reação por parte do adversário. O Palmeiras foi absoluto, sem margem de erro, e o placar final poderia ter sido histórico, não fossem os vários contra-ataques desperdiçados. A história começou a ser escrita logo ao minuto 12’, após erro do central equatoriano Robert Arboleda, com Deyverson a rematar forte para defesa incompleta de Tiago Volpi, e com Bruno Henrique a aproveitar a sobra com um forte cabeceamento da entrada da área. 

Desajustado e sem grandes variações de jogo, mesmo com o polivalente Daniel Alves em campo, o São Paulo quase não criou ocasiões de golo. Ao minuto 42’, Felipe Melo fez o segundo golo palmeirense, após enroscar-se com os defesas adversários e subir mais alto para marcar de cabeça na sequência de um canto. Na segunda parte, mais do mesmo, com o Palmeiras a ter o jogo perfeitamente controlado, e no minuto 57’, Zé Rafael puxou o contra-ataque para Gustavo Scarpa rematar na saída do guarda-redes adversário e decretar o elástico placar final em 3-0 para os donos da casa. Vitória que eleva o moral do Palmeiras para o sprint final do Brasileirão, na corrida pelo título. Já o São Paulo, que amarga péssimas exibições nos últimos jogos, deve contentar-se com um lugar entre os quatro primeiros classificados e a vaga na Taça Libertadores de 2020.

Restam agora nove jornadas para o desfecho do Brasileirão’2019. Já neste fim de semana, mais uma ronda com bons jogos, como o clássico gaúcho entre Grêmio e Internacional, e o duelo das maiores torcidas do país, Flamengo e Corinthians, que se enfrentam domingo no estádio Maracanã. O Palmeiras, a espera de mais tropeços da equipa de Jorge Jesus, joga novamente em casa, já neste sábado, frente ao Ceará. No Brasileirão’2019, quase não dá para recuperar o fôlego.

    

    

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.