A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) autorizou o Atlético Goianiense a convocar quatro jogadores com testes positivos para a covid-19 para a partida contra o Flamengo, da segunda jornada do Brasileirão, a disputar na madrugada de quinta-feira.

O Atlético Goianiense fez uma série de testes no último domingo de preparação para esta partida, mas os quatro jogadores já diagnosticados com a covid-19, em data que o clube não especifica, foram novamente declarados positivos após esses novos testes.

O clube, porém, recorreu à CBF para que esses jogadores possam defrontar o Flamengo, alegando que estão nos últimos dias da doença, que já respeitaram a quarentena de dez dias imposta após o primeiro teste positivo e que já não são contagiosos.

A comissão médica da CBF acolheu os argumentos de natureza clínica apresentados pelo Atlético Goianiense e autorizou os quatro jogadores a participarem no jogo.

Jorge Pagura, presidente desta comissão, explicou ao Globoesporte que a decisão foi tomada com base numa norma do Centro Americano para Controlo e Prevenção de Doenças (CDC), já aprovado pela Organização Mundial da Saúde, que afirma, após um teste de covid-19 positivo, que "o isolamento por dez dias é suficiente".

"Além disso, em muitos casos, os novos testes continuaram a dar positivos durante muito tempo em pacientes que já não transmitiam o vírus. É claro que claro que riscos há sempre", acrescentou Jorge Pagura, que refere um caso de um clube paulista da Serie B no qual os jogadores com testes positivos foram autorizados a jogar com base no mesmo critério.

De referir que alguns jogos do campeonato brasileiro, retomado no último fim de semana, já tiveram de ser adiados na sequência do surgimento de novos de casos de coronavírus.

No entanto, um documento, ao qual o jornal Globoesporte teve acesso, assinado pelo presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Clovis Arns, foi enviado aos clubes das Séries A, B e C do Campeonato Brasileiro, no qual se deixa claro que os jogadores que testaram positivo há mais de dez dias, como é o caso dos quatro atletas do Atlético Goianiense, podem jogar e não precisam realizar novos testes.

Só na primeira divisão já foram relatados pelos clubes mais de 160 casos de covid-19 entre os jogadores desde a chegada da pandemia ao Brasil, que já matou mais de 103 mil pessoas no país e infetou mais de 3,1 milhões.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.