O Petro de Luanda apurou-se para a final da Taça de Angola, ao vencer o Progresso de Sambizanga no Estádio 11 de Novembro por 2-0. Mabiná e Ben Traoré marcaram os golos dos "petrolíferos".

A formação orientada por Miller Gomes tinha a espinhosa missão de eliminar uma equipa que já os tinha batido em duas ocasiões esta época. O Progresso tinha vencido os dois encontros, na 1a e 2º voltas do Girabola frente ao Petro, o que elevava o nível de dificuldade para o Petro que procura esta época a sua 9ª Taça de Angola.

Mas os "petrolíferos" não queriam deixar passar a oportunidade de almejar o segundo título mais importante do futebol angolano. Com uma entrada forte, o Petro inaugurou o marcador aos 17 minutos: cruzamento de Job na direita e Mabiná a ganhar entre os centrais dos "sambilas" e a rematar forte, sem hipóteses para o guarda-redes Vozinha.

O Progresso tentou reagir e saiu à procura do golo do empate. Instalou-se no meio-campo dos "petrolíferos" mas tinha dificuldades em criar situações de golo.

Após o descanso, as equipas voltaram para a 2ª parte com outra disposição, praticando um futebol vistoso, alegre, com oportunidades de golo em ambas as balizas.

David Dias, treinador do Progresso, lançou Chico no jogo e quase tirava proveitos da substuição quando o médio rematou de cabeça ao poste, já com Lamá batido. Era o melhor periodo do Progresso, que ainda viu Yano atirar de cabeça par fora, num lance em que Lamá nada poderia fazer.

O Petro também poderia ter feito o 2-0 mais cedo. Primeiro foi Job a permitir a defesa de Vozinha, num remate feito a queima-roupa. Depois foi Ben Traoré, por duas vezes: primeiro a deixar-se antecipar, após grande jogada de contra-ataque e depois a ver o seu remate ser bloqueado por Lawrence.

Com o jogo já partido, onde o Progresso tentava a todo o custo chegar a igualdade, o Petro de Luanda conseguiu o golo da tranquilidade, já em período de descontos. O guarda-redes Vozinha aliviou mal uma bola que foi parar aos pés de Ben Traoré. O avançado do Petro, com a baliza aberta, rematou para o 2-0.

O Petro, que não ganha a Taça de Angola há dez anos, vai encontrar na final o Recreativo da Caála que bateu no Dundo o Sagrada Esperança por 5-4 no desempate por grandes penalidades, após 1-1 no tempo regulamentar. Uma final inédita entre estas duas formações.

Ficha de jogo

Petro de Luanda: Lama; Etah, Bastos, Miguel e Loló; Osório, Dany, Mabiná, Job; Love Cabungula, Kêmbua. Jogaram ainda Ben Traoré e Chara.

Progresso do Sambizanga: Vozinha; Lopes, Lawrence, Jaime e Mike; Brazuca, Celson, Isaac; Luís, Viete, Yano. Jogaram ainda Jairzinho, Chico e Mário.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.