Os problemas não páram de crescer na Venezuela. Desta fez no futebol, com seleção daquele país da América do Sul a perder com a congénere da Catalunha, num encontro muito atribulado.

É que os responsáveis da seleção venezuelana tiveram problemas com o stock de equipamentos, o que obrigou a Givova, marca que veste a seleção 'vinotinto', a ir  até uma loja da Decathlon comprar camisolas parecidas para completar o stock.  Alguns internacionais venezuelanos denunciaram o caso nas redes sociais, exigindo respeito à Givova.

"Não ter camisolas para jogar hoje e ter que estampar umas que foram comprar é lamentável, o que fizeram é vergonhoso", denunciou escreveu Tomás Rincón, no Twitter.

Também Solomon Rondón, jogador do Newcastle de Inglaterra, mostrou o seu descontentamento pela situação embaraçosa.

A Decathlon mostrou, nas redes sociais, qual a camisola utilizada pela Venezuela, um modelo que custa dez euros.  A Givova utilizou um símbolo para tapar a marca das camisolas compradas.

A Seleção da Catalunha venceu por 2-1, vingando, de certa forma, a derrota da passada imposta pela Venezuela a Argentina de Messi. O jogador do Barcelona saiu lesionado do encontro, que os argentinos perderam por 3-1, em Madrid. Depois do jogo, o selecionador venezuelano, Rafael Dudamel, apresentou a sua demissão, por motivos políticos.

Selecionador da Venezuela coloca lugar à disposição por "politização" da equipa
Selecionador da Venezuela coloca lugar à disposição por "politização" da equipa
Ver artigo

"Nunca escondi o reconhecimento que tenho com a Federação e seus líderes, no apoio e na credibilidade que eles passaram ao trabalho. Hoje penso na continuidade. Falei com o vice-presidente da Federação Venezuelana depois do jogo e coloquei meu cargo à disposição. Durante todo esse tempo estamos vivendo em águas muito turvas porque estamos muito politizados", explicou.

Antes do jogo, Dudamel tinha sido recebido por Antonio Ecarri, embaixador da Venezuela em Espanha e assumido partidário de Juan Guaidó, o autoproclamado presidente interino da Venezuela, principal opositor de Nicolás Maduro.

A seleção da Catalunha derrotou, na noite de segunda-feira, a Venezuela, por 2-1, em jogo realizado no Estádio Montilivi, em Girona. Bojan Krkic e Javi Puado fizeram os golos dos catalães, Rosales o dos venezuelanos.

*Artigo corrigido e atualizado

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.