O técnico da seleção brasileira Tite reconheceu que o empate (1-1) no particular contra o Panamá disputado neste sábado no estádio do Dragão foi um "resultado mau" e que a equipa ainda precisa de ajustes antes da Copa América que o Brasil vai sediar a partir de 14 de junho.

"Foi um mau resultado. O rendimento do primeiro tempo foi abaixo de nossas expectativas, e houve um segundo tempo normal, depois de alguns ajustes que fizemos", avaliou o técnico da seleção na sala de imprensa do estádio do Dragão.

"No intervalo pudemos reorganizar e aí fomos a um nível de normalidade. Mas o primeiro tempo foi abaixo e o resultado negativo", acrescentou.

Ainda sem Neymar - afastado por uma lesão no pé desde o dia 23 de janeiro, mas presente na tribuna -, o Brasil mostrou-se apagado e sem efetividade contra o modesto Panamá, que marcou na cidade do Porto o primeiro golo da sua história diante da seleção pentacampeã do mundo.

O Brasil, que vinha de seis vitórias seguidas em seis particulares disputados após o Mundial da Rússia, abriu o marcador com um golo de Lucas Paquetá aos 31 minutos, mas quatro minutos depois foi surpreendido pelo empate que veio na cabeça de Adolfo Machado, num lance que gerou reclamações dos brasileiros que alegavam fora de jogo.

"A minha expectativa era de que fossemos um pouco mais criativos, sim, mas é preciso ter em conta que a composição nova do meio de campo precisa de ajustes. Tenho que fazer essas modificações para que haja um processo mais criativo para que os homens de frente concluam", explicou Tite.

Apesar de se manter fiel à base com que fez uma ótima campanha na qualificação para o Campeonato do Mundo, Tite deu início a um processo de renovação após a eliminação na Rússia tendo já convocado 44 jogadores diferentes. Diante do modesto Panamá, 76º do ranking da FIFA, o técnico optou por uma equipa mais jovem, com titulares como Éder Militão, Lucas Paquetá e Richarlison.

"Estabelecemos como etapa agora dar oportunidades aos jovens, aos jogadores que vão surgindo. O desempenho vem sendo normal. Não foi brilhante, mas pouco abaixo do normal. É a etapa em que estamos. Quando formos à Copa América, faremos as escolhas precisas para termos um melhor rendimento", argumentou o técnico.

A seleção, que vai abrir o torneio numa partida contra a Bolívia no dia 14 de junho em São Paulo, viaja agora para Praga para enfrentar na terça-feira a República Checa no último particular antes de Tite divulgar a sua lista de convocados para a competição.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.