Opinião/Futsal

02-02-2016 15:13

Pontapé de Saída Euro 2016 Futsal

O cronista do SAPO Desporto faz a antevisão do Campeonato da Europa de Futsal.
Foto: SAPO Desporto

Rodrigo Pais de Almeida faz a antevisão do Campeonato da Europa de Futsal

Por Rodrigo Pais de Almeida sapodesporto@sapo.pt

Tem inicio marcado para hoje o Campeonato da Europa de Futsal que se disputará na cidade de Belgrado na Sérvia, uma competição que reúne as 12 melhores seleções europeias da modalidade durante 11 dias e na qual a seleção Portuguesa não sendo a principal favorita à conquista do ceptro, tem legitimas aspirações de sonhar com ele.

A Itália (campeã em titulo e com dois troféus conquistados) e a Espanha (seis vezes campeã da Europa) são as principais candidatas, com a Itália a tentar revalidar o seu título e a Espanha a tentar vingar a perda do mesmo quando caiu no último Euro 2014 disputado na Bélgica nas meias-finais ante a seleção Russa já no prolongamento por 4 bolas a 3 quebrando a sua hegemonia no panorama do futsal de seleções no continente europeu após 4 títulos consecutivos (2005, 2007, 2010 e 2012). O equilíbrio foi nota dominante há dois anos e não se espera que seja diferente agora na Sérvia por um lado com os semifinalistas da última competição a partirem como favoritos com Rússia e Portugal a secundarem os cabeças de cartaz latinos (Espanha e Itália), mas por outro, com o desenvolvimento da modalidade noutros países que hoje em dia têm legitimas aspirações a se intrometerem na luta pelo seu espaço na competição.

E Portugal? Primeiro passar a fase de grupos no qual entra com legitimas aspirações de passar á fase a eliminar, e depois, assumir o seu protagonismo lutando pela primeira conquista internacional em competições de seleções que se espera, se exige, e já tarda a aparecer numa equipa que tem além do melhor jogador do mundo da atualidade (Ricardinho) um lote de jogadores e uma equipa técnica recheados de ambição, de competência e que esperam poder brindar o Futsal Nacional com essa vitória!


Grupo A – Portugal, Sérvia e Eslovénia

Toda a cautela é pouca para a seleção Portuguesa que sendo a maior candidata a vencer o grupo irá defrontar duas equipas que têm vindo a crescer nas competições onde participam bastando para tal recordar que a Eslovénia no último Europeu derrotou na fase de grupos a seleção da Itália que viria a sagrar-se campeã Europeia.Passará Portugal, e a equipa que vencer no duelo dos Balcãs jogando a Sérvia com o fator casa e a Eslovénia com a sua experiência dos últimos três Europeus consecutivos em que esteve presente.

Grupo B – Espanha, Ucrânia e Hungria

Favoritismo total para as seleções Espanhola e Ucraniana, e nem o facto da Hungria ter afastado a Roménia no Playoff de acesso ao Euro 2016 será suficiente para contrariar a melhor seleção Europeia das ultimas duas décadas, e a escola Ucraniana que quer ao nível de clubes quer de seleções vem sendo uma presença constante nas fases decisivas das competições internacionais.

Grupo C – Rússia, Croácia e Cazaquistão

Se o favoritismo da Rússia não merece qualquer contestação, a luta pelo segundo lugar prevê-se equilibrada onde o futsal mais elaborado e envolvente dos comandados de Stankovic e com Marinovic em campo tentaram desfeitear a teia do Guarda Redes Volante montada pelo Brasileiro Cacau no comando da seleção Cazaque e que ainda no ano passado deu frutos na Uefa Futsal Cup com a vitória do Kairat Almaty no evento disputado no MEO Arena em Lisboa.Passará à fase a eliminar a Rússia, e a minha aposta será ainda assim na Croácia, embora a vitória do Cazaquistão na fase de qualificação ante a seleção Portuguesa ainda esteja na memória de todos.

Grupo D – Itália, Azerbaijão e Republica Checa

A Squadra Azurra de Roberto Menichelli (e com três jogadores a atuar em Portugal, Merlin, Fortino e Patias) quer tornar-se pela primeira vez bicampeã europeia e para tal, na fase de grupos irá defrontar o Azerbaijão que tem vindo a perder algum fulgor depois da presença nas meias-finais no Euro 2010 e uma República Checa que tem vindo a crescer mas ainda estará longe de poder ambicionar mais do que a presença na competição.

Passará a superfavorita Itália, e para o segundo lugar aposto no Azerbaijão e na maior experiência internacional dos seus jogadores ao nível de clubes (basta recordar as prestações do Araz nas recentes fases finais da Uefa Futsal Cup, clube que é a base desta seleção e recheada de bons valores naturalizados Azeris).

Opinião