Ginástica

13-09-2012 13:11

Moçambique participou no novo recorde mundial de salto à corda

Moçambique contribuiu com mais de 160 mil saltos, para o novo recorde mundial registado no Guinness Book.
Ginástica, salto a corda
Foto: Alfredo Lituri

Por Alfredo Lituri sapodesporto@sapo.pt

Moçambique foi um dos nove países que participou nas 24 horas de ginástica na especialidade de salto à corda, uma iniciativa que visava o estabelecimento de um novo recorde deste tipo de salto, de modo a inscrever a iniciativa no livro de recordes mundiais, Guinness Book.

Perto de uma centena de ginastas participaram neste festival com objetivo de quebrar o anterior máximo fixado em 2010 e que estava na casa do 1.684.024 saltos na especialidade de Double Douch, e que foi estabelecido por ginastas de Hong Kong, Estados Unidos da América, Suécia, Singapura, Áustria, Bélgica, Brasil e Índia.

Bélgica, Etiópia, Alemanha, Hong Kong, Índia, Malásia e Trinidad e Tobago são os países que tomaram parte nesta iniciativa denominada “Jump For Life” cujas receitas servirão para a compra de uma ambulância para um centro de saúde na Etiópia.

O evento consistiu na realização do máximo de saltos possíveis por cada atleta em séries de um minuto e a contagem dos mesmos foi feita de forma eletrónica, sendo que a transmissão deste evento foi feita via internet.

No final das 24 horas, foram efetuados 1.912.826 saltos, uma diferença de 228.802 saltos em relação ao máximo anterior, sendo que Moçambique contribuiu com 167.446  saltos, em apenas 12 horas em que tomou parte nesta competição.

A Bélgica foi o país que contribui, tendo efetuados 340.558 saltos, seguido da Alemanha com um total de  325.881, Hong Kong  foi terceiro com 303.220. A Etiópia ficou em quarto ao fazer 263.736, India contribuiu com 246.504 saltos tendo sido quinto classificado, e a  Malásia foi sétimo com 171.160. Trinidad e Tobago ficou atrás de Moçambique com 94.321 saltos.  

  Edmundo Ribeiro, organizador da participação de Moçambique e membro da Federação Moçambicana de Ginástica estava satisfeito com esta iniciativa:

«Esta foi a primeira experiência que tivemos e a maior desde que nós introduzimos o salto a corda em Moçambique em 2006. Em cada ano o número de praticantes tem aumentado e para esta competição, participaram não só atletas da cidade de Maputo, como também estiveram aqui ginastas da província de Maputo, Gaza, Inhambane, Sofala que vão levar esta experiencia para as suas províncias e nós contamos nos próximos anos puder organizar eventos similares a este aqui em Moçambique”.

Segundo a Federação Moçambicana de Ginástica este festival vai contribuir para o relançamento da modalidade em Moçambique.