Futebol Internacional

14-07-2017 14:57

Como o Whatsapp pode render milhões a agentes e clubes

Aplicação de mensagens instantâneas é uma das ferramentas mais utilizadas para alcançar um acordo e chegar aos milhões do mercado.
Mino Raiola com um jogador
Foto: DR

Mino Raiola é um dos agentes mais interventivos numa negociação

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O mercado de transferências está em alta e todos os dias há negócios a ser feitos por valores milionários. Numa altura em que as saídas e entradas são muito condicionadas pela ação dos agentes, a questão coloca-se: Como é que se faz uma transferência no futebol moderno?

O processo de uma transferência é feito de uma negociação entre quatro partes envolvidas numa saída. Para além do clube que quer comprar o jogador, entra no negócio o jogador bem como o clube que vende o jogador. O agente do jogador também entra nas contas e a comunicação entre todas as partes é uma constante.

De acordo com o jornal inglês The Independent, o primeiro passo é existir acordo entre quem compra e vende. O acordo pende sobretudo em verbas de transferência bem como outras contrapartidas financeiras para quem vende o jogador.

Apenas a partir dessa altura é que existe possibilidade do clube comprador abordar o jogador em causa para discutir salário, duração do contrato e outras particularidades do vínculo com o novo emblema. É neste ponto que o agente do jogador entra em cena para assistir e defender os interesses do atleta.

Apesar do foco do agente ser o jogador, também existe a possibilidade de o agente estar envolvido nas conversas entre clubes para dar conta das intenções do jogador. No caso de Romelu Lukaku que assinou pelo Manchester United este defeso, Mino Raiola terá dito ao Everton que o jogador queria assinar pelos ‘red devils’.

É depois de todos os termos estarem acordados que uma transferência pode ser dada como certa. Em certos casos todo o processo é feito com muita celeridade enquanto que noutros pode arrastar-se durante muito tempo. A duração é variável face a todas as condicionantes únicas de cada caso.


Whataspp com método preferencial de negociação

As negociações entre todas as partes numa transferência de futebol não são, na sua grande maioria, feitas em reuniões. Num mundo globalizado em que existe interatividade e formas de comunicar a partir dos telefones, a aplicação Whatsapp é muito utlizada para negociar contratos de milhões. De acordo com o The Independent, é um método em crescimento no mundo das transferências.

O Whatsapp é um serviço de mensagem instantâneas on-line que permite conversas de grupo, partilha de ficheiros e chamadas de vídeo e de voz em conferência. Utiliza números de telefone para identificar contactos e é mais simples do que utilizar e-mail numa negociação. É uma aplicação que foi comprada pelo Facebook e faz do património da empresa. No mundo desportivo, é ferramenta de negociações entre as partes interessadas do desporto.

Assim, tanto executivos como agentes utilizam esta ferramenta para falarem entre si e tratarem de verdadeiros negócios milionários através de uma aplicação gratuita que é prática, móvel e está sempre pronta a ser utilizada através de um telemóvel em qualquer parte do mundo.


Acordo fechado, mas com apresentação a pensar no Marketing

Um negócio de transferência é fechado antes de qualquer apresentação, mas o ato de dar aa conhecer o novo jogador é, cada vez mais, uma manobra de marketing pensada e ponderada com peso e medida.

No futebol atual, é comum a comunicação de um clube preparar com antecedência a divulgação de um reforço e, em Inglaterra, há formas cada vez mais criativas de dar a conhecer as novas ‘caras’ de uma equipa. No caso do Chelsea, os ‘blues’ utilizaram um vídeo a promover a venda de camisolas enquanto revelavam a contratação de Rudiguer. O alemão já tinha acordo e um contrato assinado, mas apenas foi apresentado dias mais tarde.

Não só em Inglaterra é feito o marketing de jogadores para aproveitar as transferências. André Silva foi envolvido numa ‘jogada’ de marketing quando chegou ao AC Milan. O avançado português foi apresentado normalmente, mas juntou-se aos restantes seis reforços para formar os ‘sete magníficos de Milão’.

Com efeito, o mercado de transferências continua em aberto e há negócios a ser tratados neste preciso momento. Até dia 31 de agosto, Portugal vai manter o mercado aberto a mudanças, chegadas e saídas para, no inverno, voltar ao mesmo ciclo. No futebol moderno, as transferências ditam muito de como vai correr uma temporada.

Conteúdo publicado por Sportinforma